Clínica Odontológica em Orlândia

Ano de Construção
1998-2000
Área de terra
250 m2
Área construída
182 m2
Localização
Orlândia, São Paulo, Brasil
Algumas partes deste artigo foram traduzidas usando o mecanismo de tradução do Google. Entendemos que a qualidade desta tradução não é excelente e estamos trabalhando para substituí-los com traduções humanas de alta qualidade.

Introdução

Este edifício construído em Orlândia em São Paulo, abriga duas atividades profissionais: odontologia e prótese dentária, com suas clínicas e laboratórios.

Localização

A clínica está localizada em um terreno de esquina localizado em um bairro de casas unifamiliares com cerca de 50 anos de antiguedade.

A percepção do projecto é promovido pela situação urbana e da simplicidade do volume, uma caixa de concreto e vidro 7 x 21,5 m de altura do solo escondendo clareza estrutural.

Implementação

A implantação do edifício, devido às condições ambientais, a altura da casa vizinha e alinhamento de campo com as frentes para as ruas. A construção é independente dos outros edifícios, mas também mantém a malha ortogonal marcada nas ruas e avenidas projetadas para a cidade.

A terra foi “dobrada” por encostas suaves em relação ao 1.25m rua que levam à duas seções, clínica e laboratório.

Descrição

A entrada principal, localizada ao virar da esquina, é composto por uma varanda coberta que convida um espaço de transição entre o passeio público ea porta de acesso, criando uma visão atual das varandas e terraços de casas vizinhas.

Organizando as duas plantas como S.S e P.B alcançado aproximadamente a mesma altura que as casas vizinhas, sendo em geral de uma planta. Mas, em lugar de ser basamento-massa Bucci faz este espaço vidro, quando visto da rua dá alguma transparência deixando o piso superior, suspenso, com referência aos pisos superiores dos porões das primeiras casas da cidade.

O local é fechado com portas baixas que escondem a abertura, assim, revela totalmente o volume da massa construída.

Espaços

As áreas destinadas ao público, a clínica, está no piso superior. A fachada de vidro fornece uma perspectiva sobre as ruas como parte da memória das pessoas acostumadas ao piso superior, ao compartilhar um fluxo de tráfego semelhante na rua.

Na andar inferior se mantem a privacidade, diminuindo a transparência dos vidros em função da atividade de laboratório.

Entende-se em uma ordem de hierarquias de recintos entre o oculto e o exposto.

Um muro de concreto expressivo localizado no extremo oeste do edifício separa a rua da varanda protegida do sol e incentivá-los a mudar de caráter junto com as luzes e as sombras que passam através da parede cuidadosa e detalhadamente elevada.

Por outro lado, a fachada norte está protegido por painéis de móveis de madeira em moldes metálicos estruturados que controlam tanto a entrada e a visual.

Desta disposição espacial do programa decurre a simplicidade construtiva do edifício, cujos poucos, mas elementos marcantes definem a expressão arquitetônica.

Estrutura

Todos os vidros utilizados no nível superior são painéis fixos sem moldura, um detalhe que faz com que o vidro e a forma concreta forme uma única superfície.

Bucci oculta a estrutura, seis pilares finos metálicos de secção circular, nas paredes que formam a circulação.

Por outro lado, a fachada norte está protegida por móveis de madeira painéis estruturados em marcos de metal, que permitem ao usuário controlar com gosto a entrada de luz.

Materiais

O uso de materiais como concreto, vidro e madeira, são tratados com uma linguagem séria e austera, priorizando a arquitetura como parte da geografia.

Plantas

Fotos